Você sabe o que é controle estatístico de processos? Descubra!

O controle estatístico de processos (CEP) foi desenvolvido para detectar e corrigir processos instáveis, diminuindo os desperdícios de tempo ou de matéria-prima na linha de produção. O objetivo das análises consiste em atuar de forma preventiva na melhoria dos resultados e dos níveis de qualidade.

Ao longo deste artigo, conceituamos o controle estatístico de processos, apresentamos o funcionamento da coleta de dados e as principais causas de variações nos processos produtivos. Abordamos, também, o ciclo de melhoria e como usá-lo para alavancar seus resultados. Boa leitura!

Entenda o que é controle estatístico de processos (CEP)

O CEP é uma ferramenta de qualidade, criada para evitar o desperdício de matéria-prima em indústrias. Seu objetivo é fornecer informações que ajudem na otimização de processos (e detecção de possíveis defeitos), por meio de métricas e padronizações. Como consequência, o controle estatístico de processos gera sensíveis melhorias nos resultados, devido a diminuição do tempo de entrega e a redução dos custos de produção.

Ao realizar, por meio de cálculos estatísticos, o controle dos processos de produção, a indústria evita a variabilidade de produtos, ou seja, a ocorrência de resultados divergentes oriundos de um mesmo processo.

Um bom exemplo dos problemas causados pela variabilidade é a existência de lotes de peças defeituosas em meio a outros que passaram no teste de qualidade.

Saiba como coletar dados para aplicar o CEP

A estatística é a principal ferramenta utilizada para coletar dados e identificar padrões que devem ser acompanhados durante a produção, a fim de garantir que tudo ocorra conforme o planejado.

Para realizar uma coleta funcional de dados, é altamente recomendável utilizar o modelo PDCA para as checagens e, também, para encontrar as respostas de algumas questões pertinentes:

  • o que devo medir e por quê?
  • o que esperar como resultado?
  • o que estou mensurando é realmente necessário?
  • quais fatores (externos ou internos) podem influenciar os resultados?
  • as informações coletadas são confiáveis?

A seguir, determine quem coletará as informações, quando isso será feito e de que forma. Ao identificar o colaborador responsável, certifique-se de que ele possui os conhecimentos necessários para a tarefa.

O último passo do processo de coleta consiste em identificar quais ferramentas, softwares e gráficos serão utilizados para a análise e para fundamentar a tomada de decisão em relação aos resultados obtidos.

Aprenda a implementar o ciclo de melhorias

O ciclo de melhorias é dividido em três etapas:

  • análise;
  • manutenção do processo;
  • melhoria.

Durante a análise, o objetivo é entender todos os detalhes do processo, quais são as variáveis durante sua execução e detectar se há retrabalho ou refugo durante a entrega final.

Ao entender esses e outros detalhes, é preciso monitorá-los para identificar onde e quando ocorrem as variações para tomar as ações necessárias. O objetivo é entender o que causou as alterações, eliminando as causas negativas e mantendo as positivas. Por fim, algumas modificações no processo podem ser inseridas e as reações podem ser observadas.

O controle estatístico de processos pode ser aplicado, inclusive, em organizações de médio e pequeno porte, desde que profissionais capacitados concorram para o sucesso das etapas de coleta e análise das informações.

Gostou do artigo? Então, curta nossa página no Facebook e acompanhe os melhores conteúdos relacionados a padrões de qualidade e gestão empresarial!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *